Defensoria Pública de Minas Gerais

Igualdade e cidadania para todos


Ações do Mutirão “Direito a Ter Pai” no interior alcançam centenas de pessoas


Por Ascom em 4 de dezembro de 2018

No dia 23 de novembro, a Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais (DPMG), promoveu em parceria com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), uma série de ações em prol do reconhecimento parental. Chamado de Mutirão “Direito a Ter Pai”, o evento aconteceu simultaneamente na capital e em 42 comarcas.

O intuito é garantir à criança, ao adolescente e, eventualmente, ao adulto, o direito a ter o nome do pai e da mãe em seu registro de nascimento. Para isso, além de ofertar exames de DNA e promover o reconhecimento espontâneo e socioafetivo, incentiva a conscientização sobre a importância da reconstrução de vínculos afetivos.

Confira abaixo como foi o atendimento no dia do mutirão em diversas comarcas participantes:

Araguari

Na comarca de Araguari 11 casos foram atendidos no dia da ação, tendo sido feitos 11 exames de DNA e três reconhecimentos espontâneos. O defensor público responsável por coordenar o evento no local foi Yslyg Abreu Veloso.

Betim

Em Betim, foram realizados 47 atendimentos no dia do Mutirão, com a realização de 19 exames de DNA, 24 reconhecimentos espontâneos de paternidade e seis reconhecimentos socioafetivos. Participaram das ações os defensores públicos Maxnei Gonzaga, Ronaldo Araujo e Motta, Sarah Durço Vianna, Mirelle Morato Gonzaga, Mariana Ladeira Vieira, Bruno Freire de Jesus e José Victor de Brandão Faria.

Campanha

Em Campanha foram realizados três exames de DNA, sob a coordenação do defensor público Laércio Fusco Nogueira.

Cássia

Na cidade de Cássia foram realizados dois exames de DNA e um reconhecimento espontâneo. A defensora pública Ariadne Fernanda de Faria e Souza Ramos esteve à frente do evento, que contou com a presença do presidente da Adep Eduardo Cirino Generoso e do prefeito municipal Marco Leandro Arantes.

Realização de exame de DNA na comarca de Cássia

Caxambu

O mutirão aconteceu pela primeira vez em Caxambu, recebendo também inscrições de pessoas das cidades vizinhas. Sob a coordenação do defensor público Frederico Guilherme Dornellas Piclum, foram feitos sete exames de DNA e dois reconhecimentos espontâneos.

Conceição do Mato Dentro

No município de Conceição do Mato Dentro foram atendidas 25 pessoas, com a realização de cinco exames de DNA e dois reconhecimentos espontâneos. A responsável pelo mutirão no local foi a defensora pública Izabella Pires Costa, que também ajuizou duas ações de investigação de paternidade.

Conselheiro Lafaiete

Na cidade de Conselheiro Lafaiete foram atendidas 21 pessoas, com a realização de 4 exames de DNA e 2 reconhecimentos espontâneos. O coordenador Local, Jonathas Som Machado e os defensores públicos Ricardo Pereira Barbosa e Eliane Vieira Ribeiro Silva participaram do mutirão no município.

Contagem

Em Contagem foram atendidas 52 pessoas no dia do evento, com a realização de 36 exames de DNA e 14 reconhecimentos espontâneos. Os defensores públicos que participaram da ação foram Bruno Cesar, Canola Janaina dos Santos Damas Ribeiro, Patrícia Oliveira de Almeida Coelho e Amanda Junqueira Lemes

Curvelo

Curvelo contou com seis pessoas trabalhando sob a coordenação do defensor público Adalberto Pelli. Ao todo, foram realizados 15 exames de DNA, três reconhecimentos socioafetivos e três reconhecimentos espontâneos. 

Atendimento aos assistidos em Curvelo

Divinópolis

Na cidade de Divinópolis o Mutirão atendeu 27 pessoas, realizando 19 exames de DNA e promovendo dois reconhecimentos espontâneos. Os defensores públicos que participaram da ação foram Adriana Albernaz, Rafael Henrique de Souza Magalhães, Juliana Gonçalves, Paulo Roberto Pio Duarte, Guilherme Gontijo Alves Teixeira, Vanderlei Capanema, Leonardo Monteiro do Amaral, Pablo Alfonso Cano Prais e Wanderson Fernandes Dias.

Igarapé

Na cidade de Igarapé, foram realizados cinco exames de DNA, dois reconhecimentos espontâneos e dois reconhecimentos socioafetivos. Participaram da ação os defensores públicos Beno Benveniste Koatz, Camila Sousa dos Reis Gomes e Gustavo Gonçalves Martinho.

O defensor público Gustavo Martinho atendendo a população no Mutirão “Direito a Ter Pai”

Ituiutaba

Em Ituiutaba alunos da Universidade Federal de Uberlândia, por meio do projeto de extensão “Serviço Social e Garantia de Direitos na Comunidade Tijucana Vl”, estavam na sala de espera realizando um trabalho de conscientização da importância da participação de ambos os pais na formação da criança. Na ocasião, foram realizados 28 exames de DNA e quatro reconhecimentos espontâneos. Quem coordenou o mutirão foi a defensora pública Mônica Alves da Costa.

Iturama

Em Iturama, no dia da ação, 45 pessoas foram atendidas, tendo a realização de 16 exames de DNA. A defensora pública responsável pela ação foi Clerisa Felipe Sanches Oberlander.

Jaboticatubas

Na comarca de Jaboticatubas, das dez pessoas inscritas, três compareceram no dia do Mutirão e fizeram exames de DNA. O coordenador Local, defensor público Luiz Roberto Costa Russo, fez os atendimentos.

Juiz de Fora

Juiz de Fora contou com 36 pessoas trabalhando sob a coordenação da defensora pública Ana Lucia Gouvêa Leite no dia do Mutirão. Ao todo, 122 pessoas foram atendidas durante a ação, com a realização de 59 exames de DNA, 26 reconhecimentos espontâneos e dois socioafetivos.

Atendimento aos assistidos em Juiz de Fora

Montes Claros

A cidade de Montes Claros atendeu 234 pessoas, com realização de 66 exames de DNA, 09 reconhecimentos espontâneos e 15 investigações de paternidade. Os defensores públicos que participaram da ação foram Cláudio Fabiano Pimenta, Hélio Fagundes Veloso, Maria Teresa Silveira Santos Chaves, Edna Guimarães Câmara, Liliana Soares Martins Fonseca, Camila Machado Umpierre e Maurina Fonseca Mota de Matos.

Os assistidos foram recebidos na comarca de Montes Claros

Parte da equipe que proporcionou a realização do mutirão em Montes Claros

Muriaé

Na comarca de Muriaé 46 casos foram atendidos no dia do mutirão, sendo realizados 24 exames de DNA. Os defensores públicos que participaram da ação foram Carlos Eduardo de Oliveira, Marcus Tarcísio Silva de Castro, Jamel Castro do Amaral, André Luiz Campos Vieira e José Geraldo Mafia Júnior. Além disso, duas ações de investigação de paternidade foram ajuizadas.

Parte da equipe que trabalhou nos atendimentos da comarca de Muriaé

Nova Lima

Na comarca de Nova Lima foram feitos 23 atendimentos no evento, com a realização de dez exames de DNA gratuitos, um reconhecimento espontâneo e dois socioafetivos. Quem coordenou as ações foi o defensor público Eduardo Furst Giesbrecht Rodrigues.

Patos de Minas

A cidade de Patos de Minas atendeu 66 pessoas durante o mutirão, realizando 17 exames de DNA e dois reconhecimentos espontâneos. Os defensores que participaram da ação foram José  Sanches Aranda Neto, Maysa Veloso de Castro Almeida e Maria Emilia Machado da Cunha. Um caso diferente que apareceu no evento foi o pedido de DNA de gêmeos bivitelinos que a mãe acredita serem de pais diferentes.

Parte da equipe que tornou possível a realização do Mutirão em Patos de Minas

Pedro Leopoldo

Na comarca de Pedro Leopoldo foram atendidas 63 pessoas, resultando em 15 exames de DNA, três reconhecimentos espontâneos e o ajuizamento de três ações de investigação de paternidade. O mutirão aconteceu sob a coordenação do defensor público Manoel Luiz Ferreira. 

Pitangui

Na cidade de Pitangui 36 pessoas foram acolhidas durante a ação, envolvendo 12 exames de DNA e um reconhecimento espontâneo de paternidade. A defensora pública Patrícia Mesquita Amaral foi a responsável por coordenar o evento, que contou com o exame de DNA em um bebê filho de usuária de droga que está vivendo na Associação de Proteção ao Menor (APAM) e, caso seja confirmada a paternidade, o pai vai pedir a guarda da criança.

Realização de exame de DNA na comarca de Pitangui

Poços de Caldas

Em Poços de Caldas foram feitos 17 atendimentos no dia da ação, com a realização de doze exames de DNA. A defensora pública que participou foi Karina Roscoe Zanetti.

Ponte Nova

No município de Ponte Nova foram realizados 11 exames de DNA, sob a coordenação das defensoras públicas Nilza Martins Pataro Machado e Fernanda de Sousa Saraiva.

Pouso Alegre

Em Pouso Alegre foi realizado o atendimento de 20 pessoas, com sete exames de DNA, um reconhecimento espontâneo e três socioafetivos. Os defensores públicos que participaram do mutirão foram Walter Valle Martins Junior, Giselda Libânio Maia, Keila Ferreira de Melo e Silva e Alexandre Perin da Paz.

Parte da equipe que trabalhou no Mutirão na comarca de Pouso Alegre

Sabará

Na cidade de Sabará o Mutirão proporcionou o atendimento de 23 pessoas, com a realização de oito exames de DNA e cinco reconhecimentos espontâneos, sendo um de maternidade. O defensor público responsável pela ação foi Leonardo Carvalho Carreira.

Santa Luzia

Em Santa Luzia 19 pessoas foram atendidas no dia da ação, sendo feitos 15 exames de DNA, dois reconhecimentos espontâneos e um socioafetivo. Os defensores públicos que participaram foram Mariana do Espírito Santo, Adail Martins e Daniel Dantas.

São João da Ponte

No município de São João da Ponte foram realizados seis exames de DNA em um laboratório da cidade, sob a coordenação do defensor público Thiago Calixto Morais Guimarães.

São Lourenço

Na comarca de São Lourenço foram feitos 28 atendimentos no dia do Mutirão, com a realização de nove exames de DNA. Quem coordenou as ações foi o defensor público João Henrique Renno Matos.

São Sebastião do Paraíso

Na Comarca de São Sebastião do Paraíso foram realizados 34 atendimentos no dia do Mutirão, com a realização de dez exames de DNA, um reconhecimento espontâneo de paternidade. Quem coordenou as ações foi a defensora pública Oriane Soares de Paula e Silva.   

Sete Lagoas

Em Sete Lagoas 195 pessoas foram atendidas no dia do evento, com a realização de 22 exames de DNA, 14 reconhecimentos espontâneos e 8 reconhecimentos socioafetivos. Além de ajuizadas três ações de investigação de paternidade.  Os defensores públicos que atenderam a população foram Gilson Santos Maciel, Lincoln Jotha Soares, Sara Matoso Cordeiro e Danielle Froés Soares dos Santos.

Família assistida na comarca de Sete Lagoas

Três Corações

Na comarca de três corações o mutirão proporcionou a realização de quatro exames de DNA, coordenados pelo defensor público Georges Alessandro Amorelli Gomes.

Três Pontas

Na comarca de Três Pontas foram realizados 16 atendimentos no dia do Mutirão, com a realização de seis exames de DNA, nove reconhecimentos espontâneos e um reconhecimento socioafetivo. Na ocasião, foi ajuizada uma ação de investigação de paternidade. Os defensores públicos que trabalharam na ação foram Gustavo Trindade Pimenta e Alessandro Júnior de Carvalho.

Ubá

Em Ubá foram realizados 18 exames de DNA e um reconhecimento espontâneo de paternidade. Os defensores públicos que participaram da ação foram Ellon Agostini Rodrigues dos Santos, Paula Avila Dantas Brunner e Julio Cesar de Castro Martins. Na ocasião, um reeducando compareceu escoltado para reconhecer espontaneamente a paternidade do filho de três meses que ainda não conhecia.

Os defensores públicos Ellon Agostini Rodrigues dos Santos, Paula Avila Dantas Brunner e Julio Cesar de Castro Martins

Varginha

Na unidade da DPMG em Varginha foram realizados cerca de 80 atendimentos no dia do Mutirão. Foram feitos 26 exames de DNA, cinco reconhecimentos espontâneos e quatro socioafetivos.

Participaram da ação os defensores públicos Márcio Salgado Almeida (coordenador Local), Priscilla Angélia do Nascimento, Thais Vani Bemfica e Heitor Teixeira Lanzelloti Baldez, além de servidores e estagiários. O Mutirão em Varginha contou, ainda, com o apoio de laboratório local para auxílio e agilização da coleta de material genético.

Parte da equipe que se empenhou para que o mutirão fosse uma realidade em Varginha

Vespasiano

Foram expedidas vinte e seis notificações para os supostos pais, sendo atendidas vinte e duas pessoas no dia do mutirão. No dia do mutirão foram realizados 10 exames de DNA gratuitos, além de realizados 06 reconhecimentos espontâneos, sendo 04 de maiores de idade e 02 de menores. Participaram do mutirão os defensores públicos Romana Costa Luiz de Almeida, Leonardo Bicalho de Abreu e Daniel Brocanelli Garabini.



Transparência

O que é?

O objetivo dessa sessão é permitir o acesso transparente, rápido e fácil aos documentos e informações relacionadas à Execução Orçamentária e Financeira, Licitações, Contratos e Convênios.

saiba mais >