Defensoria Pública de Minas Gerais

Igualdade e cidadania para todos


Defensora pública participa de audiência pública sobre reconhecimento das mulheres na cultura hip hop


Por Ascom em 22 de novembro de 2019

A defensora pública Samantha Vilarinho Mello Alves, em atuação na Defensoria Especializada na Defesa do Direito da Mulher em Situação de Violência (Nudem-BH), participou de audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para debater os avanços e desafios para o reconhecimento das mulheres na cultura hip hop. A reunião, promovida pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da ALMG, aconteceu nesta quinta-feira (21/11).

No encontro, foram tratados assuntos como as dificuldades para ocupar o espaço do hip hop, ainda com presença maior dos homens, e situações relacionadas a discriminações, além de questões raciais e de gênero.

Em sua explanação, Samantha Vilarinho falou sobre a interseccionalidade, isto é, o cruzamento de questões ligadas a gênero, raça e classe que levam mulheres diferentes a vivenciarem problemas diversos.

“A invisibilidade do racismo e do machismo é tão grande que as pessoas não enxergam as mulheres, sobretudo as negras, situação que precisa mudar para as pessoas terem realmente acessos iguais na sociedade”, disse a defensora pública.

Defensora pública Samantha Vilarinho (ao centro) acompanhada de demais representantes e lideranças presentes na audiência (Foto: Sarah Torres/ALMG)

A defensora pública destacou também a importância de se compreender os contextos específicos para que as políticas públicas atendam às mulheres na totalidade das suas necessidades.

Ela falou ainda sobre as políticas públicas discutidas nas redes de apoio e coletivos que abordam temas como a cultura, segurança, educação e economia. Uma das preocupações do encontro foi entender como podem ser construídas essas políticas, de modo que atendam a esses grupos.

Na oportunidade, a comissão aprovou o Projeto de Lei (PL) 689/15, que pretende contribuir na construção de políticas públicas que ajudem as mulheres a superar desigualdades de gênero.

O texto autoriza o Estado a criar um banco de dados atualizado e destinado a dar publicidade a informações relativas à condição da mulher em Minas Gerais.

Participaram também da audiência, as deputadas Marília Campos (PT) e Andréia de Jesus (Psol), a cantora e produtora cultural Ildslaine Mônica da Silva, conhecida como Sharylaine, a coordenadora da Frente em Minas Gerais, Luciana Arruda, a representante do Coletivo Flores do Beco, Stefanny Jéssica Geraldo, e a representante da Oficina Feminina do Rap (OFR), Luana Rodrigues de Jesus.

Fonte: Ascom/DPMG, com informações da ALMG (22/11/2019)



Transparência

O que é?

O objetivo dessa sessão é permitir o acesso transparente, rápido e fácil aos documentos e informações relacionadas à Execução Orçamentária e Financeira, Licitações, Contratos e Convênios.

saiba mais >