Defensoria Pública de Minas Gerais

Igualdade e cidadania para todos


DPMG acompanha procedimento para auditoria de funcionamento das urnas eletrônicas


Por Ascom em 5 de outubro de 2016

O coordenador Criminal da Capital, Fernando Luis Camargos Araújo, representou a defensora pública-geral, Christiane Neves Procópio Malard, no sábado, dia 1º, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MG), no sorteio de cinco seções eleitorais de Minas Gerais, para serem submetidas à auditoria de funcionamento das urnas eletrônicas, por meio de votação paralela. O sorteio foi conduzido pelo juiz Wauner Batista Ferreira Machado, presidente da Comissão da Votação Paralela, e pelo procurador Regional Eleitoral, Patrick Salgado Martins. A audiência pública aconteceu na Sala de Sessões do Tribunal, em Belo Horizonte, e foi acompanhada por representantes da Defensoria Pública, Ministério Público, partidos políticos e entidades da sociedade civil.

a_IMG_5305

O coordenador Criminal da Capital, Fernando Luis Camargos Araújo, o defensor público Marcos Lourenço Almeida, e a juíza Maria Isabel Fleck

a_IMG-2010

O coordenador Criminal da Capital, Fernando Luis Camargos Araújo, e o juiz Wauner Batista Ferreira Machado

No domingo, dia 2, o assessor de Planejamento e Infraestrutura, Rafael de Freitas Cunha Lins, representou a defensora pública-geral, Christiane Neves Procópio Malard, no acompanhamento da votação paralela e auditoria do funcionamento das urnas eletrônicas.

Crédito da foto: TRE/MG

a_DSC_1612

Da esquerda para a direita: Representante da OAB/MG, Viviane Macedo Garcia; o assessor de Planejamento e Infraestrutura, Rafael de Freitas Cunha Lins; membro da Comissão de Votação Paralela, Noriko Tsukamoto; o representante do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos do Estado de Minas Gerais, Gerson Ferreuira de Oliveira; o representante da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais, Júlio Linhares Ribeiro Filho; a representante da Câmara de Dirigentes Lojistas/BH, Jessica da Silva Souza Pereira e a representante da FIEMG, Larissa Barcelos Andrade (Crédito da foto: TRE/MG)

A juíza Maria Isabel Fleck, que integra a Comissão da Votação Paralela, destacou que o objetivo do procedimento é comprovar que não é possível alterar ou desviar votos inseridos na urna eletrônica. Segundo a magistrada, a auditoria é essencial para “dar transparência à segurança da votação eletrônica e para que eleitores e candidatos tenham confiança na integridade das eleições”.

Foram sorteadas as urnas da 59ª seção eleitoral, da 7ª zona eleitoral de Além Paraíba; 49ª seção eleitoral, da 291ª zona eleitoral de Perdizes; 27ª seção eleitoral, da 96ª zona eleitoral de Coromandel; 87ª seção eleitoral, da 336ª zona eleitoral de Leme do Prado; e 298ª seção eleitoral, da 27ª zona eleitoral de Belo Horizonte.

Fonte: Ascom/DPMG (05/10/2016), com informações do TRE-MG



Transparência

O que é?

O objetivo dessa sessão é permitir o acesso transparente, rápido e fácil aos documentos e informações relacionadas à Execução Orçamentária e Financeira, Licitações, Contratos e Convênios.

saiba mais >