Defensoria Pública de Minas Gerais

Igualdade e cidadania para todos


DPMG presente na abertura da Conferência Estadual da Magistratura e do Ministério Público


Por Ascom em 17 de maio de 2016

O coordenador da Área Criminal da Capital, Fernando Luis Camargos Araújo, representou a defensora pública-geral, Christiane Neves Procópio Malard, na abertura da Conferência Estadual de Ciências Penais, Segurança Pública e Probidade Administrativa – Implicações Eleitorais, promovida pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional, e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, em parceria coma Unifenas, na quinta-feira, dia 12, em Araxá.

a_DSC_8998

A reitora da Unifenas, Maria do Rosário Araújo Velano; a ouvidora do MPMG, Ruth Lies Scholte Carvalho; o presidente do TJMG, Pedro Bitencourt; o procurador geral de Justiça, Carlos André Mariani Bittencourt, o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Sebastião Alves dos Reis Júnior; deputado estadual Bosco; o defensor público Fernando Luis Camargos Araújo

Na abertura do evento, o procurador-geral de Justiça, Carlos André Mariani Bittencourt, elogiou a escolha do tema, que, segundo ele, reúne questões que deixaram de ser tratadas apenas nos gabinetes e na Academia, transpondo-se para o cotidiano dos cidadãos. Carlos André chamou a atenção para a rapidez com que as informações relativas ao Judiciário chegam hoje à população e para a constante cobrança, cada vez maior, por celeridade na atuação das instituições.

a_DSC_8985

O defensor público Antônio Carlos Moni, em atuação em Araxá; o procurador geral de Justiça, Carlos André Mariani Bittencourt, o coordenador da área Criminal da Capital, Fernando Luis Camargos Araújo; o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Sebastião Alves dos Reis Júnior; e o desembargador Alvares Cabral da Silva

A palestra de abertura da conferência foi proferida pelo procurador regional da República, Douglas Fischer, que abordou “a relevância do direito penal no combate à improbidade administrativa”. Segundo o palestrante, a corrupção não é um problema apenas do Direito Penal ou da improbidade. “Não podemos pensar que com o Direito Penal e com a utilização dos mecanismos da improbidade vamos resolver o problema da corrupção. O Ministério Público e o poder Judiciário precisam também agir preventivamente, desenvolver programas de conscientização de que é preciso cuidar da questão da corrupção, pois temos na sociedade inúmeros pequenos atos de corrupção que podem levar aos grandes atos. Não mudaremos nada se não mudarmos a consciência das pessoas e a nossa consciência, de juízes do caso”, considerou.

a_DSC_9028

Os defensores públicos Fabio Gandara Bettoni, em atuação em Araxá, e o coordenador Local de Araxá, Antônio Carlos Moni de Oliveira, durante a palestra de abertura da conferência

Fonte: Ascom/DPMG (17/05/2016) Com informações do MPMG



Transparência

O que é?

O objetivo dessa sessão é permitir o acesso transparente, rápido e fácil aos documentos e informações relacionadas à Execução Orçamentária e Financeira, Licitações, Contratos e Convênios.

saiba mais >