Defensoria Pública de Minas Gerais

Igualdade e cidadania para todos


II Dia Mundial dos Pobres recebe cerca de mil pessoas em Belo Horizonte


Por Ascom em 14 de novembro de 2018

Um conjunto de serviços e lazer foi oferecido na manhã do dia 13 de novembro para a população vulnerável da Capital mineira. A iniciativa, promovida pela Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG) em parceria com a Arquidiocese de Belo Horizonte, integrou as celebrações do II Dia Mundial dos Pobres. Gratuito e aberto ao público em geral, o evento foi voltado para pessoas em situação de rua. Aproximadamente mil cidadãos usufruíram da ação social.

Quem passou pela Serraria Souza Pinto, no Centro da cidade, teve acesso à mutirão de orientações jurídicas e atendimento psicossocial prestado pela DPMG; atividades recreativas e apresentações culturais; oficinas de artesanato; corte de cabelo e barba; manicure e pedicure; atendimento de saúde e odontologia; emissão de documentos; cadastro para emprego; distribuição de roupas; café da manhã e almoço; entre outras atividades oferecidas por diversos parceiros.

Presente no início do evento, o defensor público-geral do Estado, Gério Patrocínio Soares, destacou a promoção dos direitos humanos e o resgate da cidadania como objetivos principais da iniciativa. “Além do dia festivo, a ideia é dar visibilidade a essa parcela da população e proporcionar acesso a uma série de serviços que, muitas vezes, eles não conhecem ou não têm como obter”.

O bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom Otacílio Ferreira de Lacerda, abençoou os presentes e salientou que “só haverá paz e harmonia no mundo quando, em todos os dias do ano, os pobres forem tratados com dignidade e cidadania”.

Defensor-geral, Gério Patrocínio; assessores da Defensoria-Geral, coordenadores e defensores estaduais e federais; bispo Dom Otacílio Ferreira de Lacerda; padre Júlio César do Amaral; e o secretário municipal de Assistência Social, José Cruz

Equipe de trabalho voluntária que proporcionou a realização do II Dia Mundial dos Pobre em Belo Horizonte

Equipe do Núcleo Psicossocial e do Setor de Projetos da DPMG junto com voluntários

Em nome da DPMG, a subdefensora pública-geral, Luciana Leão Lara Luce, agradeceu a todos os parceiros da iniciativa e cumprimentou os defensores públicos que prestaram atendimento e a todos que se dedicaram à realização do evento.

Subdefensora pública-geral, Luciana Leão Lara Luce

À frente do evento pela DPMG, a coordenadora de Projetos, Convênios e Parcerias, defensora pública Michelle Lopes Mascarenhas Glaeser, fez agradecimentos aos parceiros e aos defensores públicos participantes, que “não mediram esforços para estarem aqui hoje, promovendo a cidadania”. A defensora destacou, ainda, a importância, para a população, da prestação dos serviços oferecidos no evento.

A simbologia da data também foi lembrada pelo vigário para Ação Social e Política da Arquidiocese, padre Júlio César do Amaral. “Que o Dia Mundial dos Pobres sirva como inspiração para que a solidariedade com nossos irmãos carentes esteja sempre presente e que, todos os dias, façamos algo para promovê-los na sua dignidade humana”.

A representante da Agência Adventista de Desenvolvimento Recursos Assistenciais (Adras), Daiane Arantes, agradeceu à Defensoria Pública pelo convite para integrar a iniciativa.

Vigário para Ação Social e Política da Arquidiocese, padre Júlio César do Amaral; bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom Otacílio Ferreira de Lacerda; defensor público federal, Diego de Oliveira Silva, representando o defensor público federal chefe, Francisco Nogueira Machado; secretário municipal de Assistência Social, José Cruz; coordenadora de Projetos, Convênios e Parcerias, defensora pública Michelle Lopes Mascarenhas Glaeser; defensor público e conselheiro da DPMG, Galeno Gomes Siqueira; e a representante da Adras, Daiane Arantes

Atrações

Várias atrações culturais foram oferecidas simultaneamente com o atendimento dos órgãos participantes, entre elas, apresentações do “Bloco Arte Amigos da Rua”, grupo de tambores de moradores e ex-moradores de rua, e do grupo de jovens da oficina de percussão do Programa “Fica Vivo”, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

Nem as sequelas da poliomielite contraída na infância, impediram Elisano, de 48 anos, de aproveitar as atrações. “Gosto muito de música. O pessoal assusta quando me vê no chão, mas quando a música é boa, não resisto e desço da cadeira de rodas para poder dançar. Isso aqui tá bom demais, ” disse, cantarolando.

Também animaram a manhã as bandas “Ora Pro Nobis”, “Rap do Borel” e do grupo “Mexerica”.

O palco ficou aberto ao público, que pôde aproveitar o espaço livremente para apresentações diversas.

A tenda da Defensoria Pública de Minas Gerais abrigou defensores públicos estaduais e da União. Além de orientação jurídica nas áreas criminal e de direitos humanos, a DPMG ofereceu atendimento psicossocial, prestado pelas psicólogas e assistentes sociais do Centro Psicossocial da Instituição. A Defensoria Pública da União (DPU) prestou atendimento na área previdenciária.

Jaques aproveitou o evento para se inteirar sobre a situação de seu irmão que se encontra preso. “Vou sempre na Defensoria para saber. Hoje, eu fiquei sabendo que a Defensoria iria estar aqui e aproveitei. Aqui é mais fácil para mim”, afirmou, após o atendimento na área criminal.

Os defensores públicos estaduais – Galeno Gomes Siqueira, Júnia Roman, Roberta de Mesquita Ribeiro e Sérgio Riani – prestaram cerca de 100 orientações jurídicas. Também auxiliou a servidora da Defensoria Especializada em Urgências Criminais, Suriana Pereira Lima.

As servidoras do Núcleo Psicossocial – Raquel Azevedo (coordenadora técnica), Milian Ribeiro Scos, Eliana Cândida de Souza e Rosemary Gabriel atenderam cerca de 50 pessoas. O atendimento da DPMG contou ainda com a colaboração de estagiários e voluntários da Instituição.

Jane, de 46 anos, acompanhou com entusiasmo as práticas corporais oferecidas pela Secretaria Municipal de Saúde, “Academia da Cidade” e “Lian Gong”. “Relaxei bastante e vou tentar fazer todos os dias”, comentou. O Município participou também com orientações, atendimento e encaminhamentos de saúde.

Outras atrações concorridas foram a distribuição de roupas na “Lojinha Solidária” e o atendimento na Van Odontológica, oferecidos pelo Servas.

A peteca fez sucesso com vários participantes que aproveitaram as atividades de recreação e cultura proporcionada pelo Projeto “Bom de Bola”.

A alta rotatividade de atendimentos de corte de cabelo e barba e manicure e pedicure manteve cheios os estandes do Instituto Técnico de Cabelereiro e da Igreja Quandragular.

Bastidores

No total, 231 pessoas estiveram envolvidas na organização e execução do evento. Pela DPMG, além dos defensores públicos e servidores já mencionados, a iniciativa contou com a participação das defensoras públicas Giza Magalhães Gaudereto (assessora de Planejamento e Infraestrutura), Marina Lage Pessoa da Costa (assessora de Administração Estratégica e Inovação) e Irma Luzia de Paiva Reis; dos servidores da Coordenadoria de Projetos, Convênios e Parcerias, Marise Alves Ferreira, Aline Ponzo Neves e Walisson Souza; dos servidores da Superintendência de Recursos Logísticos e Infraestrutura, do Conselho Superior e da Assessoria de Comunicação.

Confira abaixo todos os parceiros e serviços oferecidos no II Dia Mundial dos Pobres em Belo Horizonte.

Defensoria Pública da União: Assistência jurídica, âmbito federal

Defensoria Pública do Estado: Assistência jurídica, âmbito estadual

Recivil: Certidões de registro civil

SINE: Cadastramento de vagas de emprego

Subsecretaria de Segurança Pública: Prevenção a criminalidade/ Oficinas do programa Fica Vivo

Secretaria Municipal de Assistência Social: Transferência de renda e abordagem social

Secretaria Municipal de Saúde: Vacinas, orientações e divulgações de campanhas

ADRA: Abordagem de rua

Projeto Fred: Oficina de tapeçaria

Projeto Bom na bola bom na vida: Oficinas esportivas

SESC: Oficinas de chaveiros e pulseiras

ITC- Instituto Técnico de Cabelereiros: Corte de cabelo e barbearia

Servas: Serviço odontológico e lojinha solidária

Igreja quadrangular: Serviços de manicure e pedicure

Toca de Assis: Distribuição dos alimentos

Vicariato: Organização geral

Fundação Clóvis Salgado (cessão do espaço)

PMMG e Guarda Municipal (segurança)

Pastoral de rua: Orientação atendimento

Centro Pop

Projeto Banho de Amor

Voluntários: Apoio na organização geral

Apoiadores: Alunos, pais e trabalhadores do Colégio Loyola; Paróquia Santo Cura D’Ars; Paróquia Sagrada Família; Equipe Cozinheiros de Rua, Restaurante Popular de Belo Horizonte, unidade Santa Efigênia; Supermercados BH; Loja das Festas; Verdemar; MGS – Minas Gerais e Serviços S/A.

A ação na Região Metropolitana

Neste ano, a Defensoria Pública, a Arquidiocese de Belo Horizonte e parceiros também promoveram a ação em Nova Lima, Ibirité, Pedro Leopoldo e Bonfim. Ainda neste mês de novembro, o evento será realizado em Contagem, no dia 24 e, no dia 22, acontecerá o mutirão de orientações jurídicas e atendimento psicossocial da DPMG em Betim, onde outras atividades serão desenvolvidas entre os dias 18 a 28.

Mídia

Clique aqui para ver a reportagem exibida pela TV Globo.

Clique aqui para ver mais fotos.

DIA MUNDIAL DOS POBRES

A data foi instituída pelo líder da Igreja Católica, Papa Francisco, e está sendo celebrada pela segunda vez neste ano. Por meio de mensagem publicada no dia 13 de junho, o Papa Francisco diz que estamos rodeados por tantas formas de pobreza. É preciso “compreender quem são os verdadeiros pobres para os quais somos chamados a dirigir o olhar a fim de escutar o seu clamor e reconhecer as suas necessidades”. E roga para aqueles “a quem foram impostas as mãos para o serviço dos pobres a viver este Dia Mundial como um momento privilegiado de nova evangelização. Neste dia, sintamo-nos todos devedores para com eles”.

DPMG

A iniciativa corresponde à missão da Defensoria Pública em promover os direitos humanos e a defesa dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos necessitados. Consagrada como um dos pilares do Estado Democrático de Direito brasileiro pela Constituição Federal de 1988, a Defensoria Pública é importante ator político na elaboração de ações estratégicas para a democratização do acesso ao sistema de justiça. São seus papéis a redução das desigualdades sociais e a defesa de direitos e garantias individuais de pessoas em situação de vulnerabilidade.



Transparência

O que é?

O objetivo dessa sessão é permitir o acesso transparente, rápido e fácil aos documentos e informações relacionadas à Execução Orçamentária e Financeira, Licitações, Contratos e Convênios.

saiba mais >