Defensoria Pública de Minas Gerais

Igualdade e cidadania para todos


MPMG e Defensoria Pública iniciam trabalho de levantamento de dados no Isidoro


Por Ascom em 29 de agosto de 2014

Objetivo é coletar informações sobre as pessoas que vivem nas ocupações Esperança e Vitória, de modo a subsidiar trabalho de mediação 

A Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG) e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) iniciaram, nesta quinta-feira, 28 de agosto, levantamento quantitativo sobre as pessoas que vivem nas ocupações Esperança e Vitória, na região conhecida como Isidoro, próxima à divisa de Belo Horizonte e Santa Luzia. Após decisão judicial que determinou a desocupação da área e a reintegração de posse a seus proprietários, a DPMG e o  MPMG buscam mediar  uma solução pacífica que possa atender também às necessidades de moradia, saúde, educação das famílias que vivem no local.

Vários defensores públicos, promotores e servidores do MPMG participam da ação, desde o começo da manhã desta quinta, coletando dados básicos dos residentes da área, pertencente à Granja Werneck S/A, além de informações sobre a frequência escolar de crianças e adolescentes e o número de pessoas com deficiência. Com o levantamento, as instituições buscam ter mais elementos para as negociações que envolvem o caso.

De acordo com a procuradora de Justiça Gisela Potério Saldanha, uma das preocupações é que a saída dessas pessoas do local ocorra sem o uso de força policial e com a perspectiva de soluções habitacionais provisórias ou definitivas.

Para o defensor público Gério Patrocínio Soares o trabalho conjunto das duas instituições e das comunidades envolvidas possibilitará a construção de um desfecho pacífico do conflito. “O envolvimento de todos na busca pela solução é o verdadeiro caminho para a efetivação da Justiça, principalmente em relação às questões que envolvem conflitos de ordem coletiva”, concluiu.

Além de Gisela Saldanha e Gério Patrocínio, participam da ação os promotores de Justiça Paulo César Vicente de Lima, Nívia Mônica da Silva, Cláudia do Amaral Xavier e Cláudia Spranger Motta e os defensores públicos Aylton Rodrigues Magalhães, Ana Cláudia Silva Alexandre, Júnia Roman Carvalho, Lucas Diz Simões e Maria Auxiliadora Viana Pinto.

A coleta de dados irá continuar amanhã, 29 de agosto.

Clique aqui para ver fotos desta quinta-feira.

Vitória e Esperança

Segundo relatório técnico produzido, em março deste ano, pela Coordenadoria de Inclusão e Mobilização Sociais (Cimos) do MPMG, a ocupação Vitória foi iniciada, espontaneamente, em julho de 2013. Já a ocupação Esperança  foi iniciada em maio de 2013.

Uma das coordenadoras da Esperança, Rosemilda de Freitas, diz que a vontade dos moradores é permanecer no local, mas espera que as negociações permitam chegar a um acordo que satisfaça, especialmente, às necessidades de moradia da população. “Enxergamos no MPMG o começo de uma solução, de um caminho para resolver a situação da melhor maneira possível, sem que as famílias se machuquem. Todos já estamos muito abalados com essa situação”, diz.

Isidoro

A região do Isidoro compreende uma área de 933 hectares, quase a mesma área limitada pela avenida do Contorno, que circunda toda a região central da capital mineira.

_DSC0822

Fonte: Ascom/DPMG e Diretoria de Imprensa/MPMG



Transparência

O que é?

O objetivo dessa sessão é permitir o acesso transparente, rápido e fácil aos documentos e informações relacionadas à Execução Orçamentária e Financeira, Licitações, Contratos e Convênios.

saiba mais >